Fortune Rabbit

Tudo era diferente anos atrás, sendo natural ter umV8 para o dia a dia ou o lazer em família. Uma lista regida pelos Ford Galaxie 500, Landau, Maverick GT ou pelo Dodge Charger R/T. Tempos saudosos, mas quem manda hoje é o downsizing e a eletrificação.

Mesmo assim, vamos experimentar a fragrância de andar diariamente com um oito cilindros dispostos em “V” naturalmente aspirado e seu ronco borbulhante, seja indo ao trabalho ou em simples tarefas cotidianas. Seria possível conviver?

Escolhemos o Ford Mustang Mach 1, única versão à venda no Brasil por R$ 566.300, e recheado de aperfeiçoamentos voltados ao desempenho por compartilhar diversos componentes com os Shelby GT350 e GT500, assim como o Bullitt – versão homônima do filme de 1968 trazendo o lendário astro Steve McQueen.

PreviousNext

+ Superesportivo Ford GT tem edição limitada em tributo a Le Mans
+ Ford Maverick híbrida desembarca no Brasil em 2023; assista ao teaser
+ Nova Ford Transit atinge 1.000 unidades vendidas no Brasil
+ Ford investe em engenharia; Mustang Mach-E é testado no Brasil

Como é o Ford Mustang Mach 1 por fora?

Opony car – cupê de quatro lugares, com o capô longo e a traseira curta – debutou a versão esportiva Mach 1 em 1969. É uma das mais icônicas do carro idealizado por Lee Iacocca

Separados por 53 anos, as semelhanças do clássico para o atual surgem no spoiler dianteiro, nas entradas de ar circulares (em 1969, trazia luzes auxiliares), no apêndice aerodinâmico sobre a tampa do porta-malas e nas lanternas divididas em três seções. Tudo seguido à risca!

Ford Mustang Mach 1 1969 (Foto: Divulgação)

O estilo provocativo vai de encontro aos logotipos alusivos nos para-lamas frontais, na faixa sobre o capô, e na traseira, enquanto as belas rodas de 19” calçam pneus Michelin Pilot Sport 4 S de medidas 255/40 na dianteira e 275/40 atrás.

Uma novidade da linha 2022 são os cinco tons perolizados: cinza Catalunha, verde Fuji, laranja Delhi, azul Estoril e roxo Zolder.

PreviousNext


Da aviação, o número Mach 1,00 é igual à velocidade do som. Ou seja, 1.216 km/h ao nível do mar, segundo a Agência Nacional da Aviação Civil (ANAC). E a título de curiosidade, também em 1969, quando foi lançado o Mach 1, a Grumman venceu a concorrência com o projeto do que se tornaria o F-14 Tomcat, com suas asas de geometria variável para atingir velocidades supersônicas. Aliás, o F-14A (de Alpha) é o do filme Top Gun – Ases Indomáveis de 1986.  

Ele te veste

As enormes portas exigem espaço para realizar a abertura e é preciso atenção em vagas de prédio/shopping para não deixar uma marca no veículo vizinho.

A boa posição de dirigir é conquistada com mínimos ajustes e à frente você enxerga o longo capô. A ergonomia Mustang Mach 1 – substituiu o Black Shadow (leia nossa avaliação) – é exaltada pelos comandos à mão, além de transmitir melhor visibilidade traseira que no Chevrolet Camaro SS Coupé. A plaquinha Mach 1 no painel referencia modelo 1969.

Ford Mustang Mach 1
A placa com o número de série aparece acima do porta-luvas (Foto: Roberto Assunção)

O interior ainda contempla bancos em couro com aquecimento/ventilação, multimídia SYNC 3 de 8” com Android Auto/Apple CarPlay e áudio da Bang&Olufsen composto por 12 alto-falantes mais subwoofer (falantes de graves) totalizando 1.000 W de pura potência sonora.

O 2+2 oferece 2,720 m de entre-eixos (2,812 m no Camaro SS) e lá atrás somente adultos de baixa estatura ou crianças se acomodam confortavelmente, enquanto o porta-malas de 382 litros é suficiente para acomodar as compras do supermercado e as malas do final de semana – no Chevrolet Camaro SS Coupé são 208.

PreviousNext

Como é o dia a dia?

O propulsor V8 5.0 naturalmente aspirado descarrega 483 cv a 7.250 rpm e torque de 556 Nm (56,7 kgfm) a 4.900 rpm. Com ordem de detonação dos cilindros de 1-5-4-8-6-3-7-2 tudo é entregue no pé e sem o famigerado turbolag (atraso antes do turbocompressor pegar para valer) dos motores atuais.

Uma receita clássica e norteada ao desempenho, mas que permite uma convivência tranquila e aconselhado para quem já possui experiência com esportivos de tração traseira.

O Ford Mustang Mach 1 promove usabilidade e os modos de condução Normal, Esportivo, Esportivo+, Pista, Drag, Neve/Molhado e o customizável My Mode alteram determinados parâmetros, como as respostas do motor/transmissão, das suspensões adaptativas MagneRide® e da direção, a qual pode ser configurada separadamente por meio de uma tecla no painel. 

+ Conheça o 1º carro elétrico de Henry Ford desenvolvido em 1913
+ Avaliação: Ford Ranger FX4 exibe visual aventureiro e refinado
+ Ford Bronco 2023 recebe edição limitada baseada no modelo de 1966
+ Arquivo: Ford disponibiliza imagens históricas; veja como acessar


Ao trafegar no modo Normal as reações são comedidas e a transmissão automática troca brevemente as dez marchas – a 47 km/h estamos com a sétima engatada – ao passo que o volante fica leve ao esterço. A musicalidade produzida pelo sistema de exaustão do Shelby GT500 com as quatro saídas perfuradas de 4,5” embala o trajeto fazendo você desligar o poderoso sistema de som.

Ford Mustang Mach 1
O Line Lock possibilita fazer burnout e derreter os pneus traseiros (Foto: Roberto Assunção)

Assim como as portas são generosas, as dimensões não são pequenas, com 4,788 m de comprimento e 1,915 m de largura, o que exige atenção nas avenidas com faixas de rolamento estreitas. O corpo do Ford Mustang Mach 1, dependendo da vaga, exige realizar algumas manobras a mais e faltou os sensores de estacionamento dianteiros para ajudar a vida do motorista.

O conjunto de suspensões filtram e absorvem muito bem as irregularidades do asfalto sem transmitir batidas secas e o pony car não enrosca com facilidade nas valetas ou nas lombadas. Apenas necessário ter atenção aos buracos para não danificar as rodas ou os largos pneus de perfil 40.

Ford Mustang Mach 1
Foto: Divulgação

A barra anti-torção vem do Mustang Bullitt, enquanto as barras estabilizadoras são 4% maiores na dianteira/8% na traseira, buchas e braços de suspensão traseira do Shelby GT500. Isso associado a caixa de direção precisa contribui em uma dirigibilidade cirúrgica, mesmo ao andar em baixa velocidade pela forma que responde aos comandos.

Puro Heavy Metal

Ao trocar para o programa Esportivo a conversa muda de tom e indo ao Esportivo+, o Ford Mustang Mach 1 mostra as suas garras. As reações ficam acessas e nos momentos de pé cravado no pedal do acelerador é possível ouvir o ar sendo admitido pelo sistema de indução “Open Box Air” com o filtro cônico do Ford Mustang Bullitt da mesma maneira que apresenta o corpo de borboletas maior, o coletor de admissão e o sistema de arrefecimento do motor e do radiador emprestados do Shelby GT350.

Ford Mustang Mach 1
O propulsor V8 5.0 Coyote naturalmente aspirado despeja 483 cv de potência (Foto: Divulgação)

As entradas de ar circulares na dianteira estão lá para possibilitar uma melhora de 50% na refrigeração do propulsor e de até 75% na transmissão. Além disso, as tomadas nas extremidades do para-choque frontal cumprem a função de beneficiar a passagem de ar e aumentam em 25% o downforce.

Foto: Divulgação

Os 17 cv a mais que o Ford Mustang Black Shadow totalizam 483 cv de potência e com relação peso-potência de 3,7 kg/cv e peso-torque de 31,4 kgfm/kg faz de 0 a 100 km/h rápidos 4,3 segundos e atinge 250 km/h de velocidade máxima.

+ Compra do Ano 2023/SUV 4×4: Ford Bronco Sport
+ Compra do Ano 2023 – Picape Monobloco: Ford Maverick
+ Compra do Ano 2023/Esportivo: Ford Mustang Mach-1
+ Avaliação: Ford Ranger Black é pra quem não usa 4×4. Vale a pena?


As mudanças/reduções do câmbio automático de dez marchas são (muito) rápidas e ao trocar manualmente na faixa de 7.000 rpm é emitido um estampido pelas saídas de escape. Entretanto, cuidado para não se empolgar além da conta, pois ao exigir do pedal do acelerador registramos um consumo de 2,1 km/l ao passo que foi de até 6,1 km/h trafegando sem trânsito – o propulsor de oito cilindros em “V” não possui o sistema de desativação de cilindros.

Como o próprio nome diz, o programa Pista é recomendado ao uso em circuitos e libera todo o poderio da fera. E o controle nas frenagens garantido pelos freios da renomada Brembo de 15” com pinças de alumínio de seis pistões de 36 mm e pastilhas voltadas para o desempenho – no Black Shadow, focadas no conforto.

Foto: Divulgação
Veredicto

Já falei outras vezes, que o Ford Mustang Mach 1 é um esportivo sensorial. Afinal, trata-se de um carro construído para quem gosta de dirigir e de saborear os velhos tempos. Uma receita  clássica muito bem temperada fruto da competente engenharia norte-americana. Lá fora, a sétima geração foi apresentada recentemente (confira aqui todos os detalhes). 

Como mencionamos, o consumo pode assustar por conta do preço dos combustíveis. Entretanto, em um mundo ideal, com a gasolina mais em conta, o Ford seria a escolha de quem deseja esportividade associada a uma boa usabilidade. E ele até traz os sistemas semiautônomos à direção em prol da segurança.

Mesmo com um desempenho de arrancar sorrisos, o Ford Mustang Mach 1 é civilizado e se transforma ao toque de um botão. Todavia, em um contexto geral ele pode ser o seu companheiro do dia a dia. O melhor de tudo é que vale cada centavo!


FICHA TÉCNICA

FORD MUSTANG MACH 1
Preço básico: R$ 566.300
Carro avaliado: R$ 566.300

Ford Mustang Mach 1
Motor: oito cilindros em “V” 5.0, 32V, injeção direta e indireta, duplo comando de válvulas com variação na admissão e no escape
Cilindrada: 5037 cm³
Combustível:gasolina
Potência: 483 cv a 7.250 rpm
Torque: 56,7 kgfm a 4.900 rpm
Câmbio: automático, dez marchas
Direção:elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e multi-link (t)
Freios: discos ventilados (d/t)
Tração:traseira
Dimensões: 4,788 m (c), 1,915 m (l), 1,379 m (a)
Entre-eixos: 2,720 m
Pneus: 255/40 R19 (d) e 275/40 R19 (t)
Porta-malas: 382 litros
Tanque: 60 litros
Peso: 1.783 kg
0-100 km/h:4s3
Vel.máxima: 250 km/h
Consumo cidade: 6,1 km/l
Consumo estrada: 8,8 km/l
Emissão de CO²: 197 g/km
Nota do Inmetro:D
Classificação na categoria:D

 

MAIS NA Fortune Rabbit:

+ Quatro novos SUVs: motivos para comprar (e para não comprar)
+ SUVs mais vendidos: motivos pra comprar (e pra não comprar)
+ Comparativo de Carros Elétricos: Peugeot e-208 GT vs. Mini Cooper SE vs. Fiat 500e vs. Renault Zoe
+ Comparativo: Jeep Commander vs. Caoa Chery Tiggo 8
+ Carro por assinatura vale a pena? Confira um guia completo com preços, vantagens e desvantagens
+ Segredo: o novo Renault Duster e seu irmão maior, Bigster
+ Avaliação: Chevrolet Equinox tem muito espaço e bom custo-benefício para desafiar Jeep Compass
+ Yamaha lança Fazer FZ15 ABS 2023 a partir de R$ 16.990
+ Licenciamento em SP: pagamento para placas 7 e 8 vence em outubro
+ Preços de carros usados vão cair a curto prazo; entenda os motivos
+ Carros da Jeep e Fiat têm ‘surpresas escondidas’; conheça os easter eggs da Stellantis
+ Fábrica da BMW em Araquari (SC) completa 8 anos
+ Passado e presente: Toyota RAV4 e a evolução dos SUVs
+ Lei da cadeirinha: veja as novas regras para o transporte de crianças
+ Valor do seguro de carro cai até 45%; confira o preço dos mais vendidos
+ Watts vai lançar a moto elétrica W125 no Salão do Scooter
+ GM prepara o lançamento da Montana e aumenta produção de motores

Fortune Rabbit Mapa do site